Janeiro Verde: saiba a importância da prevenção contra o câncer de colo de útero

Janeiro Verde: saiba a importância da prevenção contra o câncer de colo de útero

Janeiro é o mês da prevenção contra o câncer de colo de útero — batizado de Janeiro Verde, ele faz parte de uma série de iniciativas que surgiram com o movimento Outubro Rosa, mês de combate ao câncer de mama, de modo que cada mês é focado na prevenção de um tipo de doença.

Neste post, traremos algumas informações sobre o câncer de colo de útero e mostraremos como prevenir o aparecimento do tumor. Acompanhe!

O que é o câncer de colo de útero

O colo do útero á a parte inferior do órgão, localizado ao fundo da vagina, onde se encontra a sua abertura — canal por onde é eliminado o fluxo menstrual e ocorre a entrada de esperma, além da passagem do feto durante o parto. Ele separa as porções internas e externas da genitália da mulher e está mais exposto à doenças e outras alterações relacionadas ao ato sexual.

O câncer de colo do útero acontece quando as células que o compõem sofrem alterações. O principal propulsor da doença é o vírus HPV (Papilomavírus Humano), transmitido pela via sexual, considerado a doença sexualmente transmissível mais comum da atualidade, segundo o Hospital de Câncer de Barretos.

Esse é o terceiro tumor maligno mais frequente na população feminina brasileira. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), ele é responsável pela morte de cerca de 230 mil pacientes por ano no país — 77% dos casos são diagnosticados em estágios avançados, o que diminui as chances de cura. 

Como prevenir a doença

O objetivo do Janeiro Verde é conscientizar a população sobre o câncer de colo de útero e sua prevenção. Veja a seguir como você pode evitar o aparecimento do tumor.

Evitar a exposição ao HPV

Como mencionamos, a infecção pelo HPV é a principal causa do câncer de colo de útero. Por isso, a melhor forma de prevenir a doença é evitar a contaminação pelo vírus. O contágio com o HPV ocorre principalmente pela via sexual, inclusive nos contatos oral-genital e manual-genital, além do genital-genital, ou seja, não é necessário que haja penetração para que o risco de contaminação exista.

Por isso, o uso de preservativos, apesar de diminuir as chances da transmissão do vírus, não é garantia de proteção — mas isso não quer dizer que as camisinhas masculinas e femininas devam ser deixadas de lado, já que elas também funcionam como barreira contra diversas outras doenças. 

Tomar vacina contra HPV

A vacina contra o vírus HPV é a maneira mais eficaz de combater o câncer de colo de útero. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece a vacina tetravalente para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. A dose protege contra quatro tipos do vírus. 

É preciso deixar claro, no entanto, que a vacina não é um tratamento e, por isso, não é eficaz em pessoas que já têm lesões ou infecções causadas pelo HPV.

Fazer exames periódicos

O câncer de colo de útero é uma doença de desenvolvimento lento e pode não apresentar sintomas na sua fase inicial. Por isso, a realização de exames periódicos é muito importante. O exame Papanicolau é a principal maneira de detectar lesões precursoras e pode ser feito em unidades de saúde da rede pública. Toda mulher que já teve relações sexuais ou que tem entre 25 e 64 anos de idade deve fazer o Papanicolau a cada três anos.

A ocorrência da doença também está relacionada ao tabagismo — quanto mais cigarros a mulher fumar ao longo da vida, mais chances ela tem de desenvolver o câncer de colo de útero.

Agora que você já está familiarizado com o Janeiro Verde, que tal espalhar essa ideia entre as mulheres que conhece? Mas não se esqueça de que a prevenção deve ser feita durante todo o ano, e não apenas no mês de janeiro.

Se você se interessa por este tipo de conteúdo, curta a nossa página no Facebook e esteja sempre por dentro das novidades do blog!

Deixe um comentário